28 de fevereiro de 2007

Plus International Design Festival 2007



Está a decorrer, até 31 de Março de 2007, o período de submissão de trabalhos para o festival internacional de design Plus ’07, que terá lugar em Birmingham, Reino Unido.
(17 - 21 Outubro de 2007)

O Plus ‘07 ambiciona ser um evento sem par no mundo do design gráfico/tipografia. Será uma exibição de tudo o que é inovador, pioneiro e novo no mundo da tipografia e do design gráfico. O festival pretende funcionar como uma plataforma para os designers mundiais, como uma arena para trabalhos experimentais, como um fórum para os estudantes e como um ponto de encontro para a comunidade internacional de design.

Este festival é composto por diversos eventos: inclui uma exposição, uma conferência, apresentações diversas, workshops, fóruns de negócios, seminários, visitas, entre outros.

Podem baixar aqui o pack de informações do festival Plus’07 e outra informação adicional (pdf):

Expo ‘07 call for entries

Conference ‘07 call for paper

Exhibition ‘07 call for entries

Workshops ‘07 call for entries

27 de fevereiro de 2007

Focus Group

Langford, J. & McDonagh, D. (2003), Focus Groups: Supporting Effective Product Development. Taylor & Francis.
ISBN: 0415262089

A técnica do Focus Group é usada, com muita frequência, em diversas áreas como o marketing, as ciências sociais, a politica mas, também, e cada vez mais, na ergonomia e no design.

A autoria do Focus Group é atribuída a Robert King Merton, 1941, mas teve o seu grande desenvolvimento nos anos de 1980, com os investigadores das ciências sociais. Esta técnica surgiu para contornar as deficiências dos tradicionais questionários de perguntas fechadas. Para tal, foi desenvolvida uma ferramenta para questionar grupos de pessoas, de forma a obter uma descrição das suas respostas que pudesse conter novas linhas de reflexão. É, portanto, uma técnica qualitativa de recolha de dados, com a finalidade de obter respostas de grupos de indivíduos seleccionados previamente pelos investigadores. A finalidade principal desta modalidade de pesquisa é extrair, das atitudes e respostas dos participantes do grupo, sentimentos, opiniões e reacções que se constituem num novo conhecimento. As reuniões, ou mesas redondas, são moderadas pelo investigador, cuja função é promover a participação e a interacção de todos os indivíduos, assegurando que não haja dispersão em relação aos objectivos previamente estabelecidos e que algum dos participantes se sobreponha ao grupo.

Aplica-se esta ferramenta para ajudar a compreender os potenciais utilizadores dos nossos projectos, as suas necessidades, as suas capacidades, as características e identificar soluções potenciais para os seus requisitos. A grande vantagem desta técnica é permitir obter informação difusa, pouco tangível, que dificilmente se obteria com outras técnicas tradicionais. Através do seu uso podemos conseguir obter necessidades, dos utilizadores, que vão para além dos aspectos funcionais.

Ainda há pouco tempo estive envolvida num projecto de sinalização, onde esta técnica foi fundamental. Foi uma das formas usadas para obter esboços para novos sinais de uso público. Não é de fácil implementação, requer uma boa preparação do investigador, mas pode fornecer uma visão única do problema.

Neste livro podemos encontrar explicações sobre o Focus Group e alguns exemplos da sua aplicação na resolução de problemas pertinentes para o design e para a ergonomia.
É um manual interessante para professores, investigadores e alunos.

Mais detalhes sobre este livro no GoogleBooks

26 de fevereiro de 2007

Think "Gaia" - Sanyo 2007



Think Gaia : SANYO International Design Competition 2007


Segundo os seus autores, a palavra “Gaia” exprime a ideia de um planeta Terra vivo no qual, toda a natureza e todas as formas de vida constituem um único organismo vivo. Para que “Gaia” e o ser Humano possam coexistir é preciso conceber apenas os produtos que são realmente necessários e que agradem tanto às pessoas como a “Gaia”.

Esta é a génese do pensamento “Gaia” e a visão que a SANYO trouxe para este concurso. Nesse sentido, procuram-se de ideias para produtos do quotidiano que respeitem esta filosofia e que consigam ir para além do senso-comum do passado. Os interessados devem escolher uma, ou mais, das 3 tecnologias chave propostas e conceber um produto que traga alegria à vida na Terra.

Tecnologias-chave:

A) Water technology
Aqualoop

Aquaoasis
Electrolyzed water

B) Air technology
Virus Washer
Virus Washer2
Air Wash

C) Energy technology
Eneloop
Eneloop2

Para concretizar a visão “Think GAIA” estão em jogo 3 programas:

1 Ambiente: abordar os assuntos relativos ao ambiente global;
2 Energia: criar uma sociedade de energias limpas;
3 Estilo de vida: promover uma forma de vida que esteja em harmonia com a Terra.

Calendário:
Período de inscrição: até 12 de Abril 2007;
Período de submissão de candidaturas: até 6 de Maio de 2007;

Mais informações no site: http://compe.designtope.net/sanyo2007/index_e.html

24 de fevereiro de 2007

Design quotes

"Design is as much an expression of feeling as an articulation of reason. It is an art as well as a science, a process and a product, an assertion of disorder, and a display of order.”
Victor Margolin.

23 de fevereiro de 2007

O efeito de Von Restorff



O efeito de Von Restorff, também conhecido por efeito de saliência ou isolamento, diz respeito à facilidade de evocação de um evento único, ou distinto, de entre outros eventos similares. O mesmo é dizer que os fenómenos que são inovadores, salientes e diferentes, no contexto onde estão inseridos, são guardados com maior força na nossa memória, logo, potencialmente mais fáceis de evocar.
Este fenómeno conjuga-se com outros, como a influência da posição na sequência de exibição. Os itens posicionados no meio da sequência são mais fracos do que os do início e do fim.

A observação do fenómeno da saliência tem sido designada por efeito von Restorff, em homenagem à investigadora alemã Hedwig von Restorff que o analisou sistematicamente (Restorff, 1933). A explicação, para a ocorrência deste fenómeno, assenta na redução da interferência, produzida pelos itens similares, sobre a diferenciação e discriminação física/conceptual do item diferente. O item saliente recebe mais atenção, é codificado de forma mais profunda, é alvo de maior número de repetições e, por consequência, fica em vantagem sobre os restantes. Por exemplo, se vos pedisse para memorizar a sequência ENBL4MGLO, a probabilidade de evocaram com sucesso o 4 é muito superior à dos outros elementos.

A constatação deste fenómeno fez com que, uma das maiores exigências colocadas aos designers seja a inovação/criatividade. A procura da surpresa é de tal forma avassaladora que, por vezes, deixa de fora as questões da funcionalidade, da segurança, entre outros factores também importantes para a qualidade do design. Porém, o design de qualidade será capaz de alcançar um compromisso. Nesse sentido, estratégias como o uso do humor, do bizarro, da curiosidade e do choque têm sido usadas frequentemente para alcançar maior impacto sobre o público-alvo.

Podemos constatar pessoalmente este efeito. Basta, para tal, evocar alguns anúncios, embalagens, ou objectos… e analisar os que apareceram primeiro.
Será que o efeito von Restorff está presente?...

Bibliografia relacionada:

Gardner, M. P. (1983). Advertising effects on attributes recalled and criteria used for brand evaluations. Journal of Consumer Research, 10, 310-318

Johnson, W. A., Hawley, K. J., Plewe, S. H., Elliott, J. M. G., & De Witt, M. J. (1990). Attention capture by novel stimuli. Journal of Experimental Psychology: General, 119, 397-411

Nelson. D. L. (1979). Remembering pictures and words: Appearance, significance and name. In L. S. Cermak & F. I. M. Craik (Eds.), Levels of processing in human memory (pp. 45-76). Hillside, NJ: Erlbau


Taylor, S. E., & Fiske, S. T. (1978). Salience, attention and attribution: Top of the head phenomena. In L. Berkowitz (Ed.), Advances in experimental social psychology (Vol. 11. pp. 249-288). New York: Academic Press

Von Restorff, H. (1933). Über die Wirkung von Bereichsbildungen im Spurenfeld (The effects of field formation in the trace field). Psychologie Forschung, 18, 299-34
.

22 de fevereiro de 2007

Pulseira interactiva

A era da interactividade veio para ficar.
Stewart Brand define assim a interactividade: "Uma actividade mútua e simultânea, por parte de ambos os participantes, em geral trabalhando com o mesmo objectivo, ainda que não necessariamente". Contudo, o âmbito desta definição é o dos sistemas computorizados.

No início, as máquinas eram quase sistemas fechados, com pouca ou nenhuma interactividade. Depois, muito graças à Internet, as máquinas começaram a interagir mais com o utilizador e entre elas… Esta condição é, agora, fundamental para que a sociedade seja aberta, livre e acessível. Desta forma, estaremos a libertar todo o potencial criativo e sabedoria humana.

Nós, seres comunicantes, que levamos a vida a interagir, achamos muita piada transpor essa característica para as nossas máquinas. Colocar as máquinas a interagir, entre elas, é um pouco como lhes dar alma, personalidade, autonomia… humanidade. Daí, até começarem a surgir todo o tipo de acessórios interactivos, foi um passo…




A pulseira interactiva, que apresento hoje, é apenas mais uma destas aplicações. O conceito de pulseira interactiva está a ser desenvolvido por uma estudante de design chamada Lisa Thomas. A ideia consiste na criação de uma pulseira, com um écran LCD embutido, uma mini câmara digital e conectividade por bluetooth. Ao usar essa pulseira poderemos interagir com outros utilizadores (apenas esses) que estejam nas redondezas. Algo que alguns telemóveis já permitem fazer.

O que me surpreende, neste conceito não é a inovação, não é a sofisticação tecnológica, é a função proposta. Será que nós, seres com capacidade natural de comunicar, precisamos de uma máquina para o fazer? Não somos capazes de interagir, directamente, com alguém que esteja nas proximidades?

Talvez seja uma boa ideia para pessoas com necessidades especiais. Porém, tentar vender a ideia de que somos seres incapacitados de interagir directamente, parece-me algo de profundamente perturbador.

Podem obter mais informações, sobre o conceito e sobre o processo criativo, no blog Interactive Fashionable Wearable.

21 de fevereiro de 2007

Eulda : The European Logo Design Annual

Estão abertas as submissões ao concurso“Eulda 2007 : The European Logo Design Annual”.

Este concurso destina-se a premiar os melhores logos criados no mercado europeu. Podem concorrer designers, ateliers e seus clientes, submetendo qualquer logo que tenha sido impresso entre 1 de Janeiro de 2006 e 31 de Dezembro de 2006.

É o único concurso, no mundo, que é apoiado por 50 associações internacionais de design, entre as quais se destacam a ICOGRADA, AIGA, BEDA, PDA, ADCE.

Todas as propostas seleccionadas serão publicadas no anuário Eulda '07
O prazo de submissão termina a 18 de Maio de 2007.

Em 2006, o melhor logo da Europa foi Português!... (parabéns à Shift)
Vamos a isso...

20 de fevereiro de 2007

Dançando nas ruas

Ehrenreich, Barbara (2007). Dancing in the Streets: A History of Collective Joy. Metropolitan Books.
ISBN-10:
0805057234
ISBN-13: 978-0805057232

No dia de Entrudo, um Livro que também fala sobre o Carnaval...

A nossa civilização é rica em rituais e celebrações. Alguns rituais são contidos e dolorosos, como um funeral ou uma procissão religiosa, outros são festivos e elaborados, como o Carnaval. Porém, tais celebrações públicas exuberantes têm sido uma questão problemática ao longo da nossa história.
No livro, Dancing in the Streets, Ehrenreich aborda este desejo humano de celebrar em comunidade, de fazer grandes festanças populares, de dançar livremente em grupo, de entrar nessa espécie de folia, quase orgíaca. A autora, historiadora conceituada, apresenta explicações históricas, antropológicas, sociais e biológicas para este comportamento, que atravessou a nossa história, e procura entender o seu significado para os participantes.

Algumas questões interessantes são colocadas: Até que ponto estes rituais ajudam a preservar a autonomia e dignidade dos indivíduos? Até que ponto essas tradições e o nosso comportamento associado são manipulados pelo poder instituído? Qual é o poder que estes rituais possuem? São formas de libertar energia e que energia é essa? Entre outras…

A igreja, o poder político, os colonizadores procuraram reprimir, destruir, modificar tais comportamentos espontâneos, porque os consideravam perigosamente subversivos e ameaçadores para a sua autoridade. Isso provocou a depressão das sociedade e aumentou a melancolia de alguns povos. Não obstante, apesar de marginalizados, tais rituais sobreviveram até aos nossos dias. Podemos encontrar as suas manifestações no desporto de massas, nos movimentos do rock, nas paradas/desfiles e no Carnaval, entre outros.
Original, divertido e profundamente optimista Dancing in the Streets conclui que, nós somos naturalmente seres sociais, embora limitados por uma sociedade fechada e individualista, somos impelidos para compartilhar nossa alegria. Dessa forma, seremos, quem sabe, compelidos a criar um futuro mais pacífico...

Índice de conteúdos (em inglês):

Introduction: Invitation to the Dance 1
The Archaic Roots of Ecstasy 21
Civilization and Backlash 43
Jesus and Dionysus 57
From the Churches to the Streets: The Creation of Carnival 77
Killing Carnival: Reformation and Repression 97
A Note on Puritanism and Military Reform 119
An Epidemic of Melancholy 129

Guns Against Drums: Imperialism Encounters Ecstasy 155
Fascist Spectacles 181
The Rock Rebellion 207
Carnivalizing Sports 225
Conclusion: The Possibility of Revival 247
Notes 263
Bibliography 283
Acknowledgments 303
Index 305

19 de fevereiro de 2007

Colophon International Magazine Symposium 2007



No próximo mês de Março de 2007, entre os dias 9 e 11, decorrerá no Luxemburgo o “Colophon International Magazine Symposium 2007”. Este evento, de três dias, permitirá o encontro entre editores de revistas, directores artísticos, fotógrafos, ilustradores, jornalistas, directores de marketing, designers, estudantes e público em geral. O objectivo principal, deste encontro, é permitir o convívio e a troca de experiências entre os diversos especialistas envolvidos na concepção de uma revista.
Durante cada dia decorrerão diversas conferências internacionais e mesas redondas. Existirão também apresentações de designers, de escolas de design, de ateliers de design, de associações de designers, entre outras.
Em paralelo, decorrerá uma exposição, onde se poderá observar o trabalho de 10 revistas de renome mundial. Haverá ainda uma exposição sobre revistas, que já não existem e uma secção especial para revistas “underground”.

18 de fevereiro de 2007

Cartier 1899-1949

MUSEU DA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

O percurso de um estilo - Exposição
De 15/02/2007 a 29/04/2007 10h00 - 18h00, Sala de Exposições Temporárias do Museu
.


A exposição “Cartier 1899-1949. O Percurso de um estilo” reúne um conjunto excepcional de 230 jóias, relógios e objectos pertencentes à Colecção Cartier, bem como algumas das aquisições de Calouste Gulbenkian, pertencentes à Fundação. São ainda expostos desenhos originais - alguns dos quais associados ao coleccionador -, moldagens e diversa documentação.

A Colecção Cartier tem sido exibida nos últimos anos nos mais prestigiados museus do mundo, de que se destaca, o Museu do Ermitage, São Petersburgo, o British Museum, Londres, o Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque, o Museum of Fine Arts, Houston e o Museu de Xangai.Organizada pelo Museu Calouste Gulbenkian em colaboração com a Colecção Cartier e a editora Skira, que publica o catálogo, esta iniciativa integra-se nas comemorações do 50º aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian.
Visitas guiadas : a partir de 22 de Fevereiro, todas as terças e quintas-feiras, 15h00, até ao final da exposição. As visitas são gratuitas e não necessitam de marcação prévia.

CCB - Exposições temporárias

3 PROPOSTAS



NUNO CERA FantasmasComissário: Nuno Crespo, 24 de Novembro de 2006 a 25 de Fevereiro de 2007
“Ao usar filme, fotografia e desenho crio o meu próprio campo de visão. Emoções e paisagens, a experiência do tempo e os lugares, a beleza, o sangue e as cidades são os locais onde estou e para os quais me estou sempre a dirigir.” NC by NC.



GONÇALO BYRNE – Geografias Vivas Organização: GB-Arquitectos, 24 de Novembro de 2006 a 25 de Fevereiro de 2007
Exposição baseada na participação de Gonçalo Byrne na VI Bienal Internacional de Arquitectura de São Paulo, em 2005, dedicada ao tema “Viver na Cidade, Arquitectura, Realidade e Utopia”.



CANDIDA HÖFER Em Portugal1 de Dezembro de 2006 a 25 de Fevereiro de 2007

Em 2005 o Centro Cultural de Belém convidou a prestigiada fotógrafa alemã Candida Höfer a visitar Portugal, com o objectivo de fotografar vários espaços interiores de monumentos e edifícios públicos e privados portugueses.

Sem palavras

17 de fevereiro de 2007

Design quotes

"When I am working on a problem I never think about beauty. I only think about how to solve the problem. But when I have finished, if the solution is not beautiful, I know it is wrong.”
Buckminster Fuller

16 de fevereiro de 2007

Uma casa na árvore

Há altura em que parece que o mundo nos vai desabar em cima. Este mês de Fevereiro tem sido complicado, para mim, como poucos…
Acho que para retemperar forças, nada melhor que um retiro, no meio da calma da floresta.



Na verdade, só me apetecia ir passar estes próximos dias, mascarada de pássaro, numa casa na árvore como esta…

15 de fevereiro de 2007

The Ergonomics Society Annual Conference



THE ERGONOMICS SOCIETY ANNUAL CONFERENCE 2007

A próxima conferência, da Egonomics Society, decorrerá na Universidade de Nottingham, Reino Unido, entre 17 e 19 de Abril de 2007.

Os temas da conferência são:

Ergonomics at the heart of systems engineering;
Urban and personal security;
Holistic and universal design;
Complex systems;
Office ergonomics
Patient safety and medical ergonomics
.

Links:

Programa provisório
Agenda/horário
Ficha de inscrição

Para mais informação contactar:

Sue Hull
Conference & Marketing Officer
email
s.hull@ergonomics.org.uk
Telf: 0121 288 6715 (direct line) or 01509 234904 (office).

14 de fevereiro de 2007

Corações auditivos



Hoje é o Dia dos Namorados.

Entre os milhares de ideias, concebidas com a intenção de ganhar euros à conta das paixões alheias, deixo uma sugestão para uma prenda de última hora – os Ear Drops Heart Model. Estes pequenos headphones têm a particularidade de parecerem brincos, em forma de coração, cheios de diamantes. Naturalmente, não são diamantes verdadeiros…mas são muito vistosos. Estão disponíveis em várias cores e com outros formatos.

Devo dizer que, não era uma prenda que eu gostasse de receber… mas, gostos não se discutem!...

;)

13 de fevereiro de 2007

The Art of Looking Sideways

Fletcher, Alan (2001). The Art of Looking Sideways. Phaidon Press.

ISBN-10: 0714834491

ISBN-13: 978-0714834498


O livro, The Art of Looking Sideways, de Alan Fletcher é um guia absolutamente extraordinário e inesgotável sobre a consciência visual. Fletcher é um designer e director artístico conceituado, principalmente pelo seu trabalho na Pentagram. Nesta sua obra podemos encontrar situações caricatas, citações, imagens e coisas bizarras, constituindo uma visão interessante sobre o caos de vida moderna. O livro é uma colecção de fragmentos, reunida de forma bastante livre, que pretende captar a riqueza de informação que, por vezes, sobrecarrega os nossos sentidos. Nos seus 72 capítulos, podemos abordar assuntos diversos como: cor, ruído, camuflagem, entre outros.

Mais informação sobre este livro no site da Phaidon Press.

12 de fevereiro de 2007

Michelin Challenge Design™ 2008



O Novo concurso da Michelin para 2008 está aberto desde Janeiro de 2007 e visa destacar a segurança dos pequenos veículos citadinos. Podem participar os designers e estudantes de design residentes em qualquer país.

O designer Nuno Teixeira, licenciado pela Escola Superior de Artes Decorativas da Fundação Ricardo Espirito Santo Silva destacou-se, em Detroit, no MICHELIN CHALLENGE DESIGN™ 2007 ( foto acima). Saber mais no site do Michelin challenge.


Calendário:
Início - 9 de Janeiro de 2007
Divulgação do questionário no site - 9 de Janeiro de 2007
Entrega do questionário – 12 de Abril de 2007
Processamento do questionário - 17 de Abril de 2007
Notificação do questionário – 20 de Abril de 2007
Início das entregas de propostas – 20 de Abril de 2007
Final da entrega de propostas – 28 de Junho de 2007
Processamento das propostas – 14 de Julho de 2007
Avaliação do júri – de 16 a 20 de Julho de 2007
Selecção dos participantes – 3 de Agosto de 2007
Notificação dos participantes – 10 de Agosto de 2007
Confirmação por parte dos finalistas – 7 de Setembro de 2007
Michelin Challenge Design 2008 em NAIAS - 6 a 20 de Janeiro de 2008


Endereço e contactos:
Michelin Challenge Design
c/o Event Management Corp.
1500 W. Big Beaver, Suite 102
Troy, Michigan 48084 USA

Email: design@emcpr.com

10 de fevereiro de 2007

Design quotes

“It's not rocket science. It's social science – the science of understanding people's needs and their unique relationship with art, literature, history, music, work, philosophy, community, technology and psychology. The act of design is structuring and creating that balance.”
Clement Mok

9 de fevereiro de 2007

Kone


Sabem o que isto é?

Não vale ler o texto para descobrir!...
Só através da observação da forma… ela dá-vos pistas suficientes para descobrir a sua função?
Eu acho que não.

Mas essa é a intenção do designer…

Pois isto não é uma escultura, não é um candeeiro é...
um aspirador.

O Kone é o resultado da colaboração do Designer Karim Rashid com a Dirt Devil. Este aspirador, sem fios e alimentado a bateria, está disponível em várias cores para se adaptar ás suas opções estéticas e personalidade. A base inferior, que o suporta, também contém o carregador, pelo que, estará sempre pronto a usar.

A forma parece-me simples, harmoniosa, agrada-me mas... não para um aspirador.
Eu, pessoalmente, não gosto de disfarces. Gosto que os objectos me comuniquem, directamente, aquilo que posso, ou não, fazer com eles. É uma das características, que mais me atrai, na abordagem ecológica da percepção de Gibson… as affordances.

8 de fevereiro de 2007

Concursos



CONCURSO DE DESIGN CERUTIL

O Concurso de Design Cerutil tem como principal objectivo a concepção de peças em grés para as marcas Boulevard e My Pet Friend; para a primeira, a criação de uma linha de peças com dupla utilização forno e mesa; para a segunda, a criação de uma linha para comida e água de gatos e cães.

Para obter mais informações sobre o concurso participe na visita à fábrica CERUTIL (inscrição limitada ao nº de lugares existentes. Consulte o ficheiro ‘Visita à CERUTIL’, enviando a resposta por e-mail, até dia 7 de Março de 2007, para paula.gris@cpd.pt

Para participar, faça o download do Regulamento_Concurso_Design_CERUTI | pdf

Fonte: CPD



PRÉMIOS FUTURA


A Pro-Digit@l – Congresso Internacional de Impressão, Imagem e Comunicação Digital e a AND - Associação Nacional de Designers estão a organizar a 1ª Edição dos Prémios Futura cuja missão é reconhecer, anualmente, os melhores projectos elaborados no sector do design de comunicação e da produção gráfica e rotulação.


Podem concorrer aos Prémios Futura nas categorias do 1º ao 14º prémio todos portadores de um bacharelato ou licenciatura em design de comunicação (gráfico e multimédia), individualmente ou em equipa com projectos realizados em Portugal durante o ano de 2006. Podem concorrer equipas lideradas por designers.
Podem concorrer aos Prémios Futura nas categorias de 12º ao 20º prémio todas as empresas do sector das artes gráficas e rotulação.
Podem concorrer aos Prémios Futura na categoria 21º apenas estudantes de cursos de design de comunicação (gráfico e multimédia).
Não pode concorrer nenhum elemento do júri ou seu familiar.

Será atribuído apenas um Prémio Futura para cada categoria e será entregue ao titular da inscrição. Juntamente com o Troféu Futura será entregue um Diploma.


Submissões abertas até 5 de Março de 2007


Links:

Regulamento
Cartaz
Ficha de Identificação

Fonte: AND

7 de fevereiro de 2007

O burkini

Aqui estamos perante a grande novidade para este verão, o Burkini!

Trata-se de uma espécie de burka para ir a banhos! Este fato de banho é composto por duas peças, tal e qual como um bikini, mas com algumas diferenças...O bikini, pode ser utilizado por mulheres que se banham em público sem pudor de mostrar o corpo que têm. O Burkini, por outro lado, pode ser usado por mulheres que queiram esconder mais um pouco a sua figura, que não se queiram depilar, que se queiram proteger dos raios solares, ou cuja religião a isso obrigue! Como são as mulheres muçulmanas, impedidas pela religião de mostrar o corpo em público. O Burkini já foi visto em algumas praias australianas, correndo o risco, por vezes, de se confundir com um disfarce ninja ou com algum nadador(a) australiano(a)!

Curiosidades:
Designer Aheda Zanetti

Os preços do Burkini variam entre $125 e $156 USD
Já foram vendidos mais de 9.000
Burkinis

Post escrito por: Madame Jáquine

Nota: Este é o 1º post na nova colaboradora deste blog. A Madame Jáquine será a nossa editora de design de moda que, foi uma temática nunca abordada, até agora, neste blog.

6 de fevereiro de 2007

O trabalho dá saúde?

Waddell, G & Burton, A. K. (2006). Is work good for your health and well being? The Stationery Office.
ISBN: 0117036943

O emprego (ou a falta dele) e as condições de trabalho parecem ser um dos maiores problemas de muitos países europeus. É uma questão importante para empregadores, trabalhadores e sindicatos, porque dela depende a riqueza de um país. Porém, por um lado, temos os governos a exigir uma dilatação do período de vida activa, sobretudo para retardar o acesso às reformas, devido à falência dos sistemas de segurança social. Por outro lado, temos o impacto que o trabalho tem sobre as pessoas, especialmente quando não são cumpridas as mais básicas regras de ergonomia, higiene e segurança no trabalho e a população está envelhecida.

Para qualquer um de nós, como trabalhadores activos, torna-se pertinente saber qual o verdadeiro impacto que o trabalho tem sobre a nossa saúde e bem-estar geral. Que relação existe entre o trabalho, as principais causas do absentismo e a invalidez? Será que, aquela máxima popular que diz que trabalhar dá saúde, é verdade?

Este livro, da autoria de uma comissão independente, procura responder a algumas destas questões e esclarecer qual o impacto que o trabalho tem sobre a vida humana. Nele são revistas as principais evidências científicas, relacionadas com esta problemática. Infelizmente, ou felizmente, os estudos parecem apontar para a existência de grandes benefícios associados ao trabalho. O mesmo é dizer que o trabalho é, em geral, benéfico para a saúde física, mental e o bem-estar das pessoas. Isto considerando, evidentemente, as condições e a qualidade do contexto de trabalho e comparativamente com aqueles que não estão ocupados. Parece que os desempregados apresentam, em geral, piores condições físicas e mentais do que os empregados, com características semelhantes. Parece que o trabalho possui qualidades terapêuticas que podem reverter os efeitos negativos do desemprego.

Óptimo… afinal trabalhar é bom para a saúde.
Temos que trabalhar mais…

O pior é se, este livro, chega ás mãos de uma pessoa que eu conheço… Pois, não tardaria muito para começar a descontar uma percentagem, dos nossos ordenados, para pagar os efeitos terapêuticos do trabalho… Sendo assim, afinal de contas, ainda estamos a ser beneficiados por ter trabalho!

;)

Mais detalhes no site Wales.gov.uk

5 de fevereiro de 2007

Antoni Guadi e a Art Nouveau

A Arte Nova conheceu várias formas de expressão artística ao longo da Europa. Mais conhecida por Art Nouveau, em França e na Bélgica, pelas mãos de Guimard e Victor Horta, desenvolveu-se na Escócia (Escola de Glasgow) pelo fabuloso trabalho de Charles Rennie Mackintosh, na Áustria (a Secessão Austríaca) através dos trabalhos de Olbrich e Otto Wagner. Um pouco por toda a Europa se fez sentir esta nova estética que atravessou o campo das artes. Desde a Escultura, à pintura, este movimento no entanto destacou-se claramente nos campos do design e da arquitectura.

Quem não conhece as estações de metro francesas? Das quais temos uma réplica em Picoas.
A famosa secretária de Henry vna de Velde? As cerâmicas e as jóis de Gallé e Lalique? Os edifcíos de Charles Rennie Mackintosh?
E quem não foi ainda a Barcelona? Eu.
Mas estou a tartar disso. Daqui por 15 dias estarei plantado em pleno Parque Güell! Obra do conceituado Antoni Gaudi.
Gaudi foi o grande impulsionador do Modernismo catação, a variante espanhola da Art Nouveau. Juntamente com o arqitecto Montaner, Gaudi foi um utilizador exímio da técnica catalã tradicional do trencadis, que consiste de usar peças cerâmicas quebradas para compor superfícies. Pode admirar-se a utilização do trencadis em locais como o Parque Güell , por exemplo.
Foi Eusebi Güell que encomendou a Gaudí, a construção de uma cidade-jardim, na sua propriedade. Güell acabou por ser uma espécie de mecenas do arquitecto catalão.
É neste parque que está situada a Casa-Museu Gaudí, embora esse edifício não pareça pertencer a este parque, pela sua traça completamente diversa das outras casas aí existentes.
Gaudi conseguia sempre este efeito na paisagem. O efeito de estranheza e surpresa. Com o projecto da Casa Milà, também conhecida como La Pedrera, Gaudi conseguiu um fantástico edifício de aparência biomórfica que foi detestado por todos. Para muitos na altura um monte de pedras sem qualquer utilidade, onde o aproveitamento do espaço não era optimizado, daí o seu nome "A Pedreira". Hoje é apenas... um dos marcos da cidade.
Falar de Gaudi e não falar da
Sagrada Família, é como ir a Barcelona e... não ir ao Parque Güell. A obra por execelência de Gaudi, apesar de estar inacabada. A obra, que ainda se encontra em construção, sobrepôr-se-á a todas as dimensões conhecidas; estima-se que poderá levar no seu coro 1.500 cantores, 700 crianças e cinco órgãos.
A visitar. Claramente um local a visitar.



(ver mais no Molho de Brócolos)

Culturgest

Caros "consumidores" deste blog, há umas propostas interessantes para visitarem - se ainda não conhecem este espaço de divulgação cultural da cidade de Lisboa.
Aqui vão:



Ben Callaway

Exposição · de 20 de Janeiro a 25 de Março de 2007Galeria 1 · 2 euros

Ben Callaway (Bristol, 1978) tem vindo a utilizar o vídeo como medium exclusivo do seu trabalho. Usando imagens encontradas e apropriadas de origens muito diversas, desde vídeos promocionais até documentários anódinos, submete-as a uma laboriosa manipulação e a uma cuidada montagem. Constrói deste modo pequenas narrativas ficcionais que se revelam tão intrigantes quanto visualmente fascinantes. A materialidade do medium é explorada nos seus interstícios através de operações de manipulação das imagens como transferências sucessivas em formato analógico e deste para digital, assim como alterações de velocidades. Dos seus vídeos desprende--se uma visão alegórica do mundo eivada de niilismo existencial.
Ben Callaway fez os seus estudos de arte no Goldsmiths College (licenciatura) e na Slade School of Art (mestrado). Vive e trabalha em Londres. Esta é a sua primeira exposição individual.
CuradorMiguel Wandschneider



Bruno Pacheco
Exposição · de 20 de Janeiro a 25 de Março de 2007Galeria 2 · 2 euros

Esta exposição reúne obras recentes, na sua maioria inéditas em Portugal, entre as quais um conjunto de pinturas de grandes dimensões, “retratos de grupo” que desvelam um olhar irónico e intrigante sobre o indivíduo e a sociedade. Adoptando como referente fotografias apropriadas da internet ou tiradas por si, Bruno Pacheco descarta os significados originais das imagens e afasta-se do registo fotográfico. Paralelamente ao seu trabalho de pintura, o artista tem realizado vídeos que se oferecem como auto-retratos ambíguos e com uma acentuada dimensão performativa. Mais recentemente, tem feito objectos em que questões da pintura se articulam com outras da escultura. Estas duas facetas da sua actividade – os vídeos e os objectos – encontram-se igualmente representadas na exposição.Bruno Pacheco (Lisboa, 1974) fez estudos de artes plásticas no Goldsmiths College em Londres e vive nesta cidade há dez anos.Depois de uma extensa apresentação dos seus trabalhos em vídeo no projecto SlowMotion em 2002 (ESAD, Caldas da Rainha, e Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa), Bruno Pacheco tem vindo a ganhar crescente reconhecimento desde a sua exposição individual em 2004 na Galeria Lisboa 20, em Lisboa. Em 2006, realizou exposições individuais na Galeria Quadrado Azul, no Porto, e na HollyBush Gardens Gallery, em Londres. Em 2005 foi-lhe atribuído o Prémio União Latina.

3 de fevereiro de 2007

Design quotes

"Don't worry about people stealing your ideas. If your ideas are any good, you'll have to ram them down people's throats."
Howard Aiken

2 de fevereiro de 2007

The European Design Awards

Mais um concurso, desta vez europeu, para descobrir o que de melhor se faz no design de comunicação, ilustração e multimédia.

O European Design Awards é apoiado por algumas das melhores revistas de design da Europa e que também farão parte do júri: 2+3D, CAP & Design, +design, étapes, Eye, IDPURE, Items, KAK, Lineagrafica, novum, TYPO and Visual.

A data limite para enviar as propostas é 28 de Fevereiro de 2007.

1 de fevereiro de 2007

Não à demagogia

Não quero discutir aqui a questão da legalização da interrupção voluntária da gravidez (aborto). Esse assunto não se enquadra no espírito deste blog. Como é óbvio, eu tenho uma opinião muito concreta e irei expressá-la, através do meu voto, no próximo dia 11 de Fevereiro.

O que me incomoda, e que me levou a fazer este post, é a demagogia com que os movimentos, pelo sim e pelo não, debatem as suas posições. Para ilustrar o que acabo de dizer deixo aqui um cartaz, de um movimento pelo "Não", que é pura demagogia.

Neste cartaz, podemos ver uma mãe com um bebé nos braços. Reparem que é um bebé, não é um feto abortado. E diz-se assim: “Não corte por aqui”.

Eu até podia entender a mensagem se ela fosse destinada a combater o abandono, os maus-tratos, a pedofilia, a pornografia, o tráfico de crianças, entre outras coisas terríficas que, certas criaturas fazem com os filhos. Agora, comparar o aborto, realizado até ás 10 semanas, com esta relação… é pura demagogia. Assim, é propaganda enganosa!

Gostava de saber a opinião dos meus colegas, de Design de Comunicação, sobre esta estratégia…