30 de agosto de 2006

Lençóis inteligentes fazem cama interactiva

Aqueles que têm miúdos pequenos, em casa, sabem bem como pode ser difícil convence-los a ir para cama. Para ajudar estes pequenos diabretes a dormir, a West Point House, está a comercializar roupa de cama interactiva. Uma das propostas apresentadas consiste num edredão, com o tema da Cinderela, que se ilumina e faz soar um som da Fada Madrinha.
Não se assustem com a tecnologia porque, mesmo sendo assim sofisticado, o edredão continua a ser lavável. O sistema funciona graças a uma tecnologia chamada 'Thinking Ink' (circuitos impressos) que comunica, via wireless, com a iluminação e com os aparelhos electrónicos de casa. É possível imprimir, em qualquer cor, botões, fios, altifalantes, baterias, entre outros dispositivos.

Imaginem as possibilidades que esta tecnologia nos abre!...
Já estou a imaginar a possibilidade de comandar o microondas, a máquina do café, a Tv, entre outras coisas, a partir do meu edredão. Eu nem me importava de ter uma cama assim, mas com outro tema sem ser a Cinderela… é claro ;)

10 comentários:

laca disse...

é um pouco "frio"!...os pais deixam de ter de contar as histórinhas às crianças... as crianças continuam sem saber histórias, blá!blá!...era bom pensarem antes das terem,ih! sou má!?

Atom Ant disse...

Coisas dos tempos modernos... para crianças da era dos circuitos impressos e da nanotecnologia...

Fabs Costa disse...

Oh Lacazinha do meu coração, como te entendo, amiga!... Somos almas antigas, né?
Francês e Italiano e itália, claro e Espanha torrencial e piano, ou violoncelo ou contrabaixo ou um passeio de mão dada á beira mar ao fim da tarde e as nossas pinturas e as pinturas dos outros pintores e o deslumbramento e os livros, os nossos livros.

Ahhhhrrrrrrchxxxxxxxxxprtaka taka taka pum!...

Esta coisa da facilidade ou do facilitismo que estimula pouco o esforço que é necessário para nos movermos no mundo e não o mundo se mover por nós, ou do Coche da Cinderela no museu do Coches na Ajuda deixa-nos um tanto ou quanto com a impressão de que fomos ver o Super homem ao cinema.

Apetece?...
Não apetece!...

E a propósito o Almodovar tem um novo filme que já está aí!...
But nessa?

Atom Ant disse...

Como é que 2 designers podem ter uma resistência tão grande à evolução?... ;)

Fabs Costa disse...

Hehehe!...

Não é resistência à evolução..., é a resistência à utilização de recursos inteligentes em soluções "poucaxinhas" que resultam na estupidificação das massas.

Repara na piroseira do edredão e no sorrisinho de barbie quarentona que a criançinha tem.
Parece-te saudável?

É uma questão estética e ética...

O crescimento implica esforço e bom gosto também.
E o cérebro é um musculo que tem que ser posto em funcionamento e..., a propósito, eis se não quando, choquei com este texto que passo a partilhar:

Excerto de um livro que se intitula, "O caminho menos percorrido e mais além" de um senhor chamado, M. Scott Peck, página 30.

Ora lê:

Pensar é difícil.
Pensar é complexo.
E pensar é mais do que qualquer outra coisa, um processo, com um percurso ou direcção, um lapso de tempo, e uma série de passos ou estádios, que conduzem a algum tipo de resultado.

Pensar bem é um processo laborioso, e muitas vezes doloroso, até nos habituarmos a sermos "ponderados".

Visto tratar-se de um processo, o curso ou direcção poderá nem sempre ser claramente definido. nem todos os passos ou estádios são lineares, nem por outro lado surgem sempre na mesma sequência.

Alguns são circulares, e sobrepoem-se a outros. Nem toda a gente procura os mesmos resultados.
Tendo tudo isto em consideração, se pretendemos pensar bem, temos de estar em alerta permanente contra o pensamento simplista, na nossa tentativa de analisar questões cruciais e resolver os problemas da vida.

Atom Ant disse...

Estou perfeitamente de acordo!
Porém, não acho que esta tecnologia ponha em causa a nossa capacidade de pensar. Também acho a solução pirosa mas, temos que ver para além daquilo que já está feito, para aquilo que se pode vir a fazer com isto...
Mas compreendo a tua posição ;)

Fabs Costa, outra vez disse...

Oi Atom Ant!

Desculpa, as "parvoeiras emproadas" que digo por aqui, quando o teu trabalho é tão sério e verdadeiramente louvável.

É que ás vezes fico com saudades tuas e apetece-me vir aqui dizer coisas...

É Setembro, férias e tal...

Não me referia á tecnologia em si.
Imagina dois filmes que utilizam a mesma tecnologia.
Um pode ser brilhante e o outro nem por isso, né?

Também não me referia á tua capacidade de pensar, porque sei que pensas lindamente e além do mais os teus pensamentos são habitualmente encantadores (vai na volta tens um colchão destes lá em casa, lol)...

Mas refiro-me aos miúdos que estão em idade de crescimento e nesse momento para eles as referências do mundo são muito importantes, são estruturais para a sua vida.

Penso que a "nossa" educação materialista do ter e do haver é super errada.

Há dias assisti aquele quadro da avó que batia no móvel porque a criancinha bateu lá com a cabeça.
Diga-se de passagem, que o móvel, já lá estava e não foi o móvel que foi de encontro á cabeça da criança.
Mas curiosamente o choro da criança parou quase automaticamente e assim é e assim será...

E isto depois projecta-se na vida futura e em muitas coisas.
Há, hoje em dia, miúdos e não só miúdos, super mimados e mal educados (muitos mesmo) que não têm noção da realidade.
Acham que o mundo se move de acordo com os seus interesses e necessidades e desejos, etc., e muitas vezes vivem como se o centro do mundo fosse exactamente o seu umbigo.

Às vezes tenho a sensação que há uma série de doenças sociais que seriam evitáveis, se nós, os designers, pensássemos com elevado sentido ético e já agora, estético, os produtos, as mensagens que criamos, sejam elas lúdicas ou didácticas, e pensássemos também no efeito que esses produtos e mensagens provocam em miúdos que estão em idade de crescer.

Olha..., não é por acaso que os livros do Harry Potter fizeram tanto sucesso e sabes que mais, fico muito feliz por isso.

Acho que o mais importante é a comunicação correcta das coisas na sua estratégia com o objectivo de atingirmos a condição louvável de seres educados, civilizados, cultos, com menos medo e menos preguiça e menos orgulho.

Atom Ant disse...

Hoje em dia, hà uma grande confusão sobre aquilo que é a educação das crianças mas, a culpa é dos pais dessas crianças. Porém, o que me intriga é que, esses pais são da nossa geração... que não foi educada com estas tecnologias???
Sobre a responsabilidade social dos designers... não posso estar mais de acordo. Nós temo-la e bastante, muito embora, haja muita gente a fazer ouvidos moucos.

Fabs Costa disse...

Pois é!...

O mais importante não são os meios, são talvez os conceitos, a intenção, a estratégia e a forma como se comunica.

Alguns meios ampliam as mensagens, as correctas e as incorrectas.

Repara que os pais desses miúdos também tiveram acesso a tecnologias, sim.
Outras?
Talvez...
A televisão com o seu comando remoto á distância é do tempo destes pais, não é. E os livros também são do tempo destes pais, não são?

Pelo menos a minha avó Fabiana tem lá em casa o micro-ondas e um fogão fantástico e alguma tristeza por não aceder á internet, mas eu quando vou até aos algarves mostro-lhe o blog do professor Roberto para ela ver as fotografias e ela gosta e dos comentários também!...
E esta minha avó tem muitos livros e quando eu e o meu irmão eramos miúdos ela lia-nos muito.

Ninguém dá aquilo que não tem, ninguém ama aquilo que desconhece.

Fabiana

"O homem não é um simples objecto físico, desprovido de alma; nem sequer um simples animal: é um animal que não só tem alma mas também espírito e o primeiro dos animais que modificou o seu próprio meio por obra da cultura."

Ernesto Sabato, Resistir, Dom Qixote, página 26.

Anónimo disse...

vcs fazem edredon do super-homem!
lençol e fronha?
seria azul apenas com o simbolo!
mande e-mail no prisci12345@hotmail.com