7 de maio de 2008

Ergonomia ajuda a ganhar prémios de design


O que dizer perante o facto de o gabinete de design “Ergonomidesign”, da Suécia, ser a instituição que detêm o maior número de prémios “Red Dot Award” em todo o mundo?

O Ergonomidesign ganhou, pelo seu design, até agora, 36 destes prestigiados galardões que, são alvo de uma avaliação rigorosa, efectuada por um júri de renome e ao qual concorrem milhares de propostas de todo o mundo. Na edição deste ano receberam 3 Red Dots e 2 menções honrosas, com “RTI Sports”, “BabyBjorn”, “Haglofs”, “BRIO” e “Hultafors”.

Isto significa, pura e simplesmente, que as soluções propostas são de excelência.



Perante isto, só me ocorre dizer que a presença da Ergonomia, na forma de projectar desta equipa, é o segredo do seu sucesso!


Já sei que alguns me irão acusar de ser tendenciosa e de estar a “puxar a brasa à minha sardinha” mas, na realidade, eu estou mesmo convencida de que isto é verdade. Senão estivesse não andava, há tantos anos, a tentar mostrar essa ligação aos meus alunos e, agora, aos leitores deste blog. Mas parece-me que, depois de ter acesso a este facto, a minha tarefa vai ficar mais fácil por estar apoiada em dados que, sendo irrefutáveis, são sensíveis ao ego dos designers. Falo do reconhecimento internacional e do prestigio...


Um dos argumentos, mais recorrentes, expressado por aqueles que são avessos à Ergonomia e a todas as metodologias que ela promove, é que essa forma de projectar (por exemplo: o user-centred-design) é, de certa maneira, castradora da sua criatividade. Entende-se, mas não se aceita... Na verdade, eu acho que é exactamente o oposto. Ao orientar, ao fornecer novas informações, a Ergonomia está a enriquecer o processo, está a reduzir a margem de incerteza e de erro. Quanto à criatividade, se ela existir... irá continuar presente.


Agora, posso sempre argumentar: a Ergonomia ajuda a ganhar prémios de design!


Saber mais detalhes no site do Ergonomidesign (Aqui)


Será que eles têm alguma vaga aberta para um designer de produto sénior, com formação em ergonomia?...

Eu estou disponível :P


2 comentários:

Manuela Quaresma disse...

Olá,
Sempre leio o blog de vcs e gosto muito, é sempre bom ver pessoas que pensam que nem eu. Aqui no Brasil a visão da Ergonomia entre os designers também não é muito diferente, a maioria que não simpatiza com ela acha que ela vai podar a sua criatividade e que o produto não vai ter uma cara de "design". Eu sou designer, pesquisadora em ergonomia aqui no Rio de Janeiro e ultimamente vejo que muitos designers começam a se interessar no usuário, mas que de certa forma se recusam a dizer que trababalham com ergonomia. Muitos se dizem trabalhar com termos como "experiência do usuário", "design centrado no usuário", "design de interação" e etc. Afinal, isso é ergonomia... acho que eles não gostam do nome.
Um abraço!
Manuela

Atom Ant disse...

Cara Manuela.

Gostei da sua ideia de que os designers não gostam do termo "Ergonomia"... eheheh, nunca tinha pensado nisso...

Mas, parece que, afinal, o problema da aversão dos designers à ergonomia não é exclusivo de Portugal ;-)

Acredito que essa visão deturpada se deve a algum desconhecimento sobre a Ergonomia e a alguma falta de experiência na sua aplicação na prática do projecto. Mas, também existe alguma culpa dos Ergonomistas, que não são capazes de fazer a ponte entre ambas as áreas e acabam por "assustar" os designers, com todas as suas questões mais científicas, requisitos, etc... etc...

Há muito trabalho para ser feito na ligação destas 2 áreas extraordinárias.

Obrigada e volte sempre...