22 de outubro de 2005

Mitos

Image hosted by Photobucket.com
O Mito pode entender-se como uma espécie de sonho comportado pelos povos, o mesmo que dizer que os povos sonham acordados. O Mito é a transposição de uma realidade simbólica para uma narrativa. Os Mitos podem ser mitificados (algo que existiu a passou a mito) ou mitologizados (nunca existiu, partiu de uma narrativa).
Pensando que o Mito para o mais comum dos mortais passa pela figura humana, vamos transpor essa mitificação para os objectos. Objectos que existiram, ou existem, e passaram a Mitos, foram mitificados portanto. Será que nós designers temos esse poder? O poder de produzir Mitos?Temos concerteza. A BIC, a COCA-COLA, o isqueiro ZIPPO e até a BARBIE...
Objectos reais, que existem, e que adquiriram um outro significado cultural para além da função que está a si associada. Um significado que vai para além do acto de escrever, ou acender cigarros. O estilo, o status, a cultura, aspectos históricos, etc.
Nós, projectistas, designers e arquitectos podemos de facto moldar, tendenciar, direccionar toda a sociedade e até mesmo atrofiar. Porque não?
O designer pode de facto criar um Mito e quem sabe... até tornar-se num.

3 comentários:

Animal disse...

querias! especialmente se fosse ainda no teu tempo de vida e com os inevitáveis reflexos na conta bancária... hehehe.

CORTO MALTESE disse...

E?
O mito não é cena do sonho?
Sonhemos, portanto... sonhemos!

;)

dsign4us disse...

Todas as vezes que uma criança diz: “Não acredito em fadas”, uma pequena fada cai morta em algum lugar.
(James Matthew Barrie, Peter Pan)