29 de abril de 2008

Cybex iGo




O transporte dos bebés ao colo, devido à fragilidade da sua coluna vertebral, requer alguns cuidados especiais. Diversos pediatras afirmam que a melhor forma, para este transporte ser efectuado, é com o bebé posicionado na horizontal. O cybex_igo foi pensado partindo deste pressuposto. Segundo os seus criadores, este equipamento permite o transporte do bebé, na horizontal, com bastante apoio durante os primeiros 4 meses de vida. Mais tarde, o suporte permite o transporte da criança sentada. É um arnês com um design agradável, de linhas simples e depuradas para encaixar nas preferências dos consumidores mais jovens.

Tenho algumas dúvidas sobre a qualidade térmica do equipamento. É certo que não possuo dados suficientes para avaliar este aspecto mas, parece-me um equipamento demasiado fechado e espesso. Será que o bebé não ficará desconfortável? Especialmente em climas e/ou épocas quentes? Como é óbvio, este facto depende bastante dos materiais envolvidos que serão, naturalmente, uma parte crucial na qualidade deste equipamento.

Este é um exemplo interessante da complexidade de um projecto. Muitas vezes explico, aos meus alunos, a importância de se fazer a análise/caracterização da interacção que ocorrerá entre utilizador e produto. Uma das razões, entre muitas, para se fazer essa análise é a necessidade de descobrir a existência de conflitos de interesses, com este que abordei atrás (protecção vs conforto térmico). Muitos outros poderão surgir. Para que o designer os encontre e resolva, nada melhor que realizar a tal análise /caracterização da interacção.


4 comentários:

Ricardo Jorge tomé disse...

mas falta ainda uma parte extremamente importante: o apoio e a salvaguarda da coluna vertebral dos... pais. :)

como sou pai, o marsúpio foi uma das escolhas sobre a qual mais afincadamente pesquisei.

Devo dizer que esta solução versa muito o lado da segurança, mas há 2 factores-chave que vão contra: a maioria dos marsúpios ou lenços dá até aos 9kg, e para além disso versam também o lado passeio, a partir dos 3 meses, quando já começam a descobrir mais do mundo.

Para além disso, alguns dos melhores marsúpios de hoje já permitem 3 posições, uma das quais sendo... esta.

de qualquer forma é um desafio de design e usabilidade bastante tramado.
:)

Atom Ant disse...

Cãro Ricardo, concordo consigo no que diz respeito à carga que se coloca na coluna dos pais. Porém, essa carga, existirá sempre que se carregue um bebé. Como é óbvio, o sistema de suspensão da carga pode fazer a diferença, tal como acontece no transporte de uma mochila. Gostava de saber, de acordo com a sua experiência como utilizador, como classifica estes 2 aspectos: 1- a carga efectuada na sua coluna e 2- o comportamento térmico do equipamento. Obrigada pela sua opinião.

Ricardo Jorge Tomé disse...

Olá,

bem, a resposta é até bastante simples, mas preciso dividir em 2 cenários:

01.
SE estamos a falar de um sistema de transporte apenas até aos 4 meses, a carga efectuada na minha coluna torna-se um aspecto pouco relevante. Quem já usou o marsúpio sabe que até aos 4 meses isto é canja. Eles são ainda pequenos e leves. E para além disso nunca nos arriscamos a andar com eles muito tempo na mesma posição, precisamente porque são ainda muito pequenos e com pouca resistência a grandes passeatas.

Neste caso, portanto, até uma idade tão tenra, os factores primordiais para qualquer pai são o conforto do bebé. Definitivamente.

02.
SE o marsúpio é para abarcar o período nomral, ou seja, a partir dos 3 meses e até aos 9 kg (+- 9 ou 10 meses), então aí todos os factores pesam de igual forma: o nosso conforto e o deles. Porque a partir dos 6kg uma criança, ao fim de 10 minutos, já pesa! E se nós não estivermos confortáveis, ficamos rabugentos e acabamos por ser menos tolerantes e andar menos tempo com eles.

Eu creio que muito pouca gente adere a um marsúpio apenas para os primeiros meses. Já de si ultrapassam os 50€ (os bons), o que significa ser um investimento que convém rentabilizar.

Aliás, a grande maioria dos bons marsúpios inclui a opção de um acolchoado interior que serve para, nos primeiros meses, reforçar o conforto do bebé, mas também serve de aquecimento extra. Este interior é removível e o marsúpio passa então a assumir um lado mais veraneante e fresco.

Espero ter ajudado!
Ric.

Atom Ant disse...

Os seus esclarecimentos certamente ajudarão todos os que pensam adquirir um produto deste tipo, assim como, todos os designers que possam estar envolvidos em projectos semelhantes. Obrigada.