19 de outubro de 2006

As 20 ferramentas mais importantes!



A revista Forbes publicou, em 2005, a lista das 20 ferramentas mais importantes para o desenvolvimento humano. Pediram a Donald Norman, entre outros especialistas convidados, para os ajudar a classificar tais ferramentas. Os critérios e a metodologia adoptados levaram a que ficassem de fora, das ferramentas elegíveis, as máquinas, a roda, entre outras.
Porém, Norman não parece muito convencido sobre a validade desta lista e argumenta que, sem alguns artefactos cognitivos, que nos ajudaram a ultrapassar as limitações da memória, o nosso raciocínio nunca teria ido tão longe e o poder da nossa mente seria muito mais pequeno. Os processos mais importantes de auxílio à cognição, entre muitos outros, são a escrita, os sistemas numéricos, os calendários, a matemática, a música e a dança, etc. Mas estas invenções não são, necessariamente, ferramentas, são processos e sistemas complexos e a lista dizia respeito a ferramentas... Norman explica-nos que, o seu maior problema na elaboração de tal lista, teve a ver com as diversas categorias de objectos possíveis. Segundo ele, existem objectos essenciais à sobrevivência (por ex. facas, fogo, ferramentas de costura, ferramentas agrícolas, transportes, etc.) e existe outra categoria de objectos, relativos ao desenvolvimento do conhecimento, da civilização e da cultura (por ex. escrita, matemática, etc.). É, obviamente, complicado comparar a utilidade destas categorias que são incomparáveis.

A questão fundamental é esta:
Que ferramentas terão tido maior impacto na humanidade, as cognitivas ou os artefactos?
Para Norman foram, decisivamente, as ferramentas cognitivas.

No entanto, aqui fica a lista da Forbes :
1. faca
2. ábaco
3. bússola
4. lápis
5. arnês
6. foice
7. espingarda
8. espada
9. óculos
10. serra
11. relógio
12. torno
13. agulha
14. vela
15. balança
16. panela
17. telescópio
18. nível
19. anzol
20. cinzel

Não sei se estou, inteiramente, de acordo com esta lista mas concordo com os argumentos colocados por Donald Norman. Esta é, de facto, uma tarefa aliciante, um verdadeiro desafio. Um tema muito interessante para ser debatido numa aula de design. De uma reflexão como esta podem ser extrapoladas imensas conclusões para o design actual e futuro…
O que me leva a perguntar - como será a lista no final do Séc. XXI?
E esta pergunta é muito pertinente porque nós, actuais designers, seremos os responsáveis pela evolução que a cultura material irá ter…

1 comentário:

Nuno disse...

Boas..

Também me parece bastante interessante a possibilidade de utilização desta temática com um fim demagógico mais do que o resultado em si.Mas poderia também apresentar-se a questão a um grupo de pessoas para se efectuar uma pesquisa com vista à criação de um novo produto baseado nas conclusões.

continuação de um bom trabalho