7 de dezembro de 2005

Novo conceito de embalagem para medicamentos

A Target, comprou a patente de um novo conceito de frasco de medicamentos, criado por uma estudante norte-americana de design. Este novo conceito pretende revolucionar o design das embalagens e impedir erros na toma dos medicamentos.
Os frascos tradicionais, usados nos EUA, são curvos e têm rótulos colados contendo toda a informação sobre o medicamento.










Estes frascos apresentam diversos problemas: - não há consistência na hierarquização da informação, o nome do medicamento pode aparecer no topo, a meio ou na parte inferior do rótulo; - a marca, ou logótipo, da farmacêutica é normalmente o elemento que se destaca mais, desprezando-se o nome do medicamento; - o uso das cores não facilita o contraste; - a forma curva dificulta a leitura; o tipo, o corpo da letra, o espacejamento e o entrelinhamento escolhidos são de difícil leitura.

A solução encontrada corrige a maior parte destes problemas e apresenta algumas inovações interessantes.














O nome do medicamento aparece no topo do frasco, permitindo uma identificação fácil, mesmo quando guardado. O frasco encarnado aumenta a coerência da imagem corporativa (é a cor da Target). A informação encontra-se correctamente hierarquizada, aparecendo a informação primordial (nome do medicamento, dosagem, instruções) na zona central do rótulo e a restante informação (quantidade, validade, médico responsável), colocada numa zona secundária do rótulo. A colocação do rótulo, numa superfície plana do frasco, facilita a leitura e permite poupar gastos de produção desnecessários (com cortes de papel). Foi criado um sistema de anéis coloridos, colocados junto à tampa, que são uma forma de personalização do frasco, dificultando desta forma a confusão entre frascos pertencentes a diferentes membros da mesma família. Foi também anexado um cartão, expansível, que corresponde à bula do medicamento e que dificilmente será perdido.

Seria bom que chegassem rapidamente a Portugal, não só pelo bom exemplo de design ergonómico, mas também porque isso significava que poderíamos comprar a dose de medicamentos adequada ao nosso caso!

Este belissímo exemplo de design faz-me sentir saudades de um exercício, que se fazia em design bidimensional e, que agora foi eliminado... com muita pena minha :(

3 comentários:

Pompiii disse...

é sem duvida um método eficaz, não só pelos espacejamentos, entrelinhamentos correctos, cores adaptadas e ordem de importancia das informações, mas também pelas linhas sóbrias do material utilizado e da sua cor, que nos concentra ao centro para que não nos distraiamos das informações.

jojo disse...

nos nossos medicamentos temos uma parte da embalagem que é biodegradavel e outra que não mas que se recicla.

esta embalagem nova tem tudo o que é preciso para não se baralhar os tratamentos mas será biodegradavel?
É reciclavel quase de certeza mas é poluente e um derivado do petróleo.

:/
gosto muito da embalagem. Mas vejo que aqui em Londres, que é uma cidade gigante, se polui muito mais que em lisboa porque as políticas de reciclagem não chegam a todos, tudo tem uma embalagem para deitar fora.
Acho que os esforços dos designers se deviam concentrar em criar embalagens amigas do ambiente e funcionais. Bons objectos em todos os sentidos.

Atom Ant disse...

Eu concordo, em absoluto, com a necessidade de um design mais "verde". Talvez a Target possa produzir esta embalagem com os novos plásticos biodegradáveis, feitos com resíduos orgânicos. Podem encontrar mais detalhes sobre estes materiais em: http://www.science.org.au/nova/061/061key.htm