1 de dezembro de 2005

Deslizando com o rato...

São cada vez mais frequentes os casos de lesões, provocadas por movimentos repetitivos, no posto de trabalho. Dados divulgados pelo NIOSH apontam que este tipo de lesões corresponda a cerca de 60% das doenças profissionais. Dentro desta categoria de lesões, a síndrome do túnel do carpo é a mais frequente.
Mas o que é a síndrome do Túnel do carpo?













O túnel do carpo, assim designado devido aos 8 ossos do pulso que criam uma estrutura em forma de túnel, está preenchido por 9 tendões flexores dos dedos e pelo nervo mediano que enerva as mãos. A flexão, ou a extensão, do pulso resulta na redução do diâmetro do túnel. A fricção repetitiva, da membrana sinovial, resulta numa inflamação que, ultrapassando certos limites, irá pressionar o nervo mediano levando ao aparecimento de dores.

















Um dos grandes responsáveis por esta lesão é o trabalho ao computador e com o rato. Para ajudar a reduzir a probabilidade de sofrer deste síndroma, foi criado o ERGOglider, que é um apoio de braços ergonómico para o rato do computador. Este apoio ajuda a reduzir o stress dos movimentos repetitivos do braço, mantendo alguma liberdade de movimentos. Com o ERGOglider os movimentos do rato deixam de ser realizados pelo pulso e passam a ser controlados com o ombro, cotovelo e antebraço. As articulações deixam de ser solicitadas e o braço é usado como uma única peça. Isto significa uma importante redução do stress articular… tal como o nome indica, (glide=deslizar)…deslize…

2 comentários:

Anónimo disse...

O espirito critico, criativo e humorista com que estas imagens sao encaradas é estremamente interessante e apelativo...estes textos ajudam de certa forma a encarar a realidade de outra maneira...tvz olhar, ver e observar o k esta tao perto e nunca foi alvo de analise...esta aprovado=)

xana disse...

Doença profissional é um nome que, hoje em dia, não me passa ao lado. De momento estou a tentar tratar o Sindrome do desfiladeiro tóracico e não está a ser nada fácil. Desde tendões inflamados a dores permanentes, que só atenuam com analgésicos e mesmo assim estão sempre a marcar presença, isto é apenas uma amostra do que o problema abrange. Mas como costumo dizer, há coisas bem piores.