25 de outubro de 2007

Kleensex



O tema deste post está relacionado com a prostituição e sexo. Pode parecer, à primeira vista, que o tema está desenquadrado no âmbito deste blog, mas não está. Tudo aquilo que envolve o Homem, os seus comportamentos e a sua qualidade de vida diz respeito ao design e à ergonomia. Nesse sentido, devemos deixar os preconceitos de lado, devemos deixar de rotular os comportamentos e devemos falar sobre eles e investigá-los com a maior imparcialidade. Foi, precisamente, essa vontade de colocar o design ao serviço dos outros que me chamou atenção para o projecto dos Kleensex, da autoria da designer espanhola Ana Mir, do Emiliana Design Studio.

Os KLEENSEX são lenços, ou toalhetes, que foram concebidos para ajudar a melhorar a higiene íntima após contactos sexuais. Será, sobretudo, indicado para os trabalhadores do sexo, ou, para quem pratica sexo em sítios onde não há acesso a casas-de-banho. Este produto, que é ainda apenas um protótipo, foi submetido ao prémio Índex Award, na categoria Body.

Para fazer este trabalho, a designer entrevistou e observou a realidade das prostitutas. Acabou por concluir que este produto fazia falta e que podia ajudar a melhorar a saúde de muita gente. Para que o produto pudesse ser aceite e ter o sucesso comercial necessário deveria ser
fácil de transportar, não ter a aparência de um produto médico, poder ser vendido em máquinas de venda automática a um preço acessível, ser reciclável e possuir uma embalagem atraente.

Não conheço a realidade em Espanha mas, em Portugal, devido à hipocrisia da nossa sociedade, a prostituição é ilegal mas é praticada onde calha. Basta percorrer algumas ruas, da cidade de Lisboa, a qualquer hora do dia, para verificar que é uma actividade em crescimento.

Gostava de concluir afirmando que não sou favorável à prostituição mas, também não defendo a falsa moral e acho que, se não fomos capazes de a eliminar até agora, também não vale a pena olhar para o lado… pois ela irá continuar a existir. Será, com certeza, muito mais humano enfrentar o problema e encontrar formas de minorar o impacto que essa prática tem sobre a sociedade.

3 comentários:

CORTO MALTESE disse...

Trabalhadores do sexo foi bonito!
:)

Atom Ant disse...

Pois... Mas não me ocorreu outro termo, politicamente correcto, para designar essa actividade. Tens alguma sugestão?...

:::... Sagarapryia ...::: disse...

o problema da nossa sociedade e de muitas outras é fingirem que este tipo de situações, sendo elas na sua prática ilegais, não existem, mas a grande verdade é que existem e pior ainda é o que advém delas. Admiro quem apresenta soluções, para a diminuição de riscos que estas pessoas correm, pois acho que é de louvar.