23 de junho de 2007

A arte que incomoda muita gente


Bansky, o artista guerrilheiro
Consenso não há e a sua falta deliberada, aliada um grande sentido de humor irreverente, é a chave do fenómeno Banksy - um “artista guerrilheiro” que teima em expor o seu trabalho onde nunca é chamado.

O resultado cai sempre que nem uma bomba crítica e mordaz sobre os grandes temas sociais e políticos da actualidade.
As ruas de Londres há muito que conhecem os seus graffittis e stencils irascíveis mas é, à socapa, em espaços “institucionalmente correctos” que a sua obra é ironicamente mais conhecida e sempre falada nas televisões e jornais. E esta fama de “artista-absolutamente-não-convidado” há muito que ultrapassou as terras de Sua Majestade…

Guantanamo para americano ver na Disneyland

O mais recente atentado de irreverência chega-nos da Disneyland, na Califórnia, onde Bansky colocou a sua última “bomba de guerrilha artística”: a figura de um prisioneiro de Guantanamo, encapuçado e algemado no idílico e familiar percurso de comboio que dá pelo nome de Big Thunder Mountain Railroad.

Durante 90 minutos a incómoda figura destoou no cenário feérico, até que as autoridades fecharam o circuito para mais nenhum americano ver.Não se sabe quantas câmaras registaram o objecto estranho àquele paraíso artificial mas a verdade é que mais uma vez os objectivos de Bansky foram cumpridos: a notícia correu mundo e através do ridículo chamou a atenção contra os polémicos aprisionamentos americanos naquele centro de detenção em Cuba.

As provocações de Banksy já lhe deram uma duvidosa “reputação” internacional e por mais que possamos tentar adivinhar qual será o alvo da próxima “guerilha artística” o resultado é sempre mais inesperado e subversivo do que possamos pensar.

Atentados artísticos:do Bristish Museum a Paris Hilton. Quem se segue?

Em 2005, Banksi teve o dom de causar um enorme embaraço ao British Museum ao expor uma pretensa pintura rupestre com um homem das cavernas a empurrar um carrinho de supermercado. Os responsáveis da instituição só repararam três dias depois.
Recentemente, substituiu em lojas britânicas os CDs de Paris Hilton com outros da sua autoria. Os 500 exemplares detectados tinham uma capa ligeiramente diferente da original… a cabeça de um cão e nos títulos das músicas lia-se: “Por que eu sou famosa?, O que eu fiz? ou Para que eu sirvo?”

Natural de Bristol, Banksi é considerado um dos maiores artistas de rua do mundo. Além dos graffittis e stencils nas ruas e prédios mais comuns, muitos dos seus trabalhos estão presentes em locais públicos mais simbólicos. No Verão passado, no polémico muro da palestina pintou imagens sobre a vida do outro lado da barreira da vergonha: as praias paradisíacas e os cenários de montanha dão que pensar.
No início do Verão, um polémico graffitti, com um homem nu pendurado numa janela para fugir de um marido enganado, acabou por ter autorização para permanecer num prédio em Bristol depois de um fervoroso movimento público a favor do trabalho e do artista.

Artista guerrilheiros: Eles andam aí...

A expressão Arte de Guerilha é recente e é uma consequência directa da evolução da Arte Urbana e uma variação do conceito de “marketing de guerilha” que surgiu nos anos 80 para caracterizar formas irreverentes e pouco convencionais de promoção de produtos ou actividades.
Ao contrário dos artistas ortodoxos, os ditos “guerilheiros” fazem questão de massificar a sua arte, usando e abusando de técnicas de marketing que promovam o seu trabalho e sobretudo as ideias que lhes são subjacentes.
Em poucas palavras, a ideia não é dar a conhecer uma marca através de uma forma de arte, mas sim expressar arte através de imagens de marketing, servindo-se de uma forma subversiva do seu potencial publicitário.
A irreverência, a polémica e a provocação são termos muito caros aos seguidores do estilo que adoram roubar grandes marcas para sua própria identidade e publicidade.

2 comentários:

Atom Ant disse...

Já tinha ouvido falar deste senhor e das suas investidas mas, nunca tinha ido explorar a sua obra. Fui dar uma olhada no seu site:

http://www.banksy.co.uk/outdoors/horizontal_1.htm

e adorei...

Marvin the Paranoid Android disse...

Aconselho a aquisição do livro "Wall and Piece" do próprio Banksy. O livro expõe as fotografias pessoais do seu trabalho e complementa-as com textos explicativos também da sua autoria.

Pode-se encontrar numa qualquer Fnac pela módica quantia de 17 euros.